fbpx

A tradição é unânime em atribuir o terceiro evangelho e os Actos dos Apóstolos a um cristão da comunidade grega de Antioquia, de origem pagã (sírio de Antioquia).

O autor deste Evangelho, escrito entre 75 a 85 d.C, foi companheiro e seguidor de Paulo, particularmente durante o seu cativeiro em Cesareia e em Roma. Médico de profissão - Paulo chama-lhe até "o nosso querido médico" (Col 4, 14) - foi martirizado em Beocia.

De quem falamos? Lucas, pois , claro!

O Evangelho que tem o nome de Lucas, e que reflete sem dúvida a tradição catequética de Antioquia, parece ter sido escrito por um homem de cultura grega refinada, bom conhecedor da Escritura, na sua versão grega dos Setenta.

Para quem foi escrito e com que finalidade?

Lucas afirma querer escrever uma "exposição seguida" da história de Jesus.

Os escritos destinam-se às comunidades cristãs surgidas de entre os gentios,provavelmente evangelizadas por Paulo (Ásia Menor, Macedónia, Grécia...), com origens culturais e étnicas diferenciadas. Por isso, os textos são escritos procurando ser inteligíveis por qualquer pessoa que entenda grego. Poderíamos definir a linguagem de Lucas como simples e clara.

Fontes do Evangelho

Lucas tem uma preocupação cronológica e utiliza diferentes fontes para produzir os seus escritos.

Uma delas é o Evangelho de Marcos, que segue de perto mas ao qual faz algumas “correções”:

- torna a linguagem mais clara

- elimina as palavras aramaicas

- omite o que entende ser desinteressante para os pagãos (Mc 9,11-13)

- procura que o relato seja mais lógico

-  Em Lucas, Jesus não caminha sobre a água, não é flagelado antes de ser crucificado e não é coroado com espinhos.

- Difere sobretudo na secção central onde é apresentada a subida para Jerusalém, com várias indicações explícitas repetidas pelo caminho (9,51; 13,22; 17,11), não fazendo referência à existência de diferentes viagens.

-  A morte de Jesus não é entendida como resgate da Humanidade.

Mas segue também outras fontes: o texto arameu de Mateus, tradições próximas a João e até informações pessoais.

- A infância de João Batista e de Jesus.

- Hinos e cânticos: Benedictus, Magnificat, Gloria in excelsis, Nunc dimittis.

- Genealogia

- Parábolas: bom samaritano (10,30-37), o amigo inoportuno (11,5-8), a figueira estéril (13,6-9), a moeda perdida (15,8-10), o pai misericordioso (15,11-32), Lázaro e o rico (16,19-31), a viúva e o juiz (18,2-5), o fariseu e o publicano (18,10-14), entre outras...

- Milagres: a pesca milagrosa (5,1-11), o filho da viúva de Naim (7,11-15), a mulher encurvada (13,11-13), o hidrópico (14,1-4), os dez leprosos (17,11-19), a orelha do servo do sumo sacerdote (22,50-51).

- Outros relatos, como a pecadora que lava os pés a Jesus, Marta e Maria, a frase “fazei isto para a minha memória” na Última Ceia, a entrevista com Herodes, a frase de Jesus na cruz “Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que fazem”, os discípulos de Emaús, a ascensão de Jesus...

O que distingue o Evangelho de Lucas?

O Evangelho de Lucas anuncia o Deus fiel ao seu povo de Israel, que lhes envia o Seu filho Jesus. Abre os horizontes da salvação aos impuros e pecadores, aos pobres e doentes, às crianças e às mulheres, aos samaritanos e gentios.

Lucas é também conhecido como o evangelista do desígnio de Deus: “o mistério da Páscoa é o seu foco, o Espírito Santo é o seu autor e a comunidade universal dos crentes é a sua finalidade.

No Evangelho de Lucas encontramos:

- Um evangelho de oração (Neste evangelho encontra-se o verbo “orar”/“rezar” pelo menos 19 vezes)

- Um evangelho de louvor e ação de graças

Exemplos: Aparecem nesta atitude Maria (1,46), Zacarias (1,64.68), os anjos de Belém (2,13), os pastores (2,20), Simeão (2,28), o todo o povo (5,26; 7,16),

- Um evangelho de alegria e paz

Exemplos:  A alegria inunda os pais de João Batista (1,14.41-44.58) / O anjo saúda Maria com um grito de regozijo: “Alegra-te!” / “Salve” (1,28) / Maria entoa um cântico de alegria (1,46-55) / Belém é um hino de alegria celestial (2,10-13)

- Um evangelho de bondade e misericórdia

Exemplos: A misericórdia de Jesus para com os pecadores (7,34; 15,1s.7.10) / para com a pecadora pública (7,36-50)

- Um evangelho que traz uma boa notícia às mulheres

Exemplos: à viúva de Naim (7,11) / à pecadora (7,36) / às mulheres que os seguiam (8,1; 23,49.55) 

- Um evangelho para os pobres

Exemplos: Jesus é pobre (9,58) e fala para os pobres (6,21).

Em Lucas, Jesus é o Salvador misericordioso. Atento a todos os desprezados: crianças, mulher, estrangeiros, samaritanos... A todos oferece  perdão: à pecadora em casa do fariseu, a Zaqueu, o publicano, ao bom ladrão... Lucas que é o único a mencionar estes episódios e também é o único a contar a parábola do filho pródigo (Lc 15, 11-32)

Seguir Jesus Jesus exige o despreendimento total: "Ai de vós, os ricos!" (Lc 6, 24). Mas é também o evangelho da alegria. Esta brilha em todas as páginas: todos os que seguem cantam as maravilhas de Deus, a começar por Maria no seu Magnificat.

A Lucas associa-se o touro, porque o seu Evangelho concentra-se no caráter sacrificial da morte de Cristo, e o touro sempre foi um animal sacrificial por excelência, tanto para o judaísmo quanto para o paganismo romano.

O Evangelho de Lucas é quem nos acompanha ao longo do ano litúrgico C

Texto retirado do livro "Casa sobre a Rocha", com adaptações de Claudine Pinheiro

 

Siga-nos

Visite as livrarias

Quem Somos

Somos uma editora católica, fiel ao carisma de S.João Bosco. Especializados em catequese e pastoral juvenil, estamos em Portugal há quase 70 anos. "Educação e Evangelização" é o nosso lema. Temos lojas próprias nas cidades do Porto, Lisboa e Évora e estamos presentes nas principais livrarias católicas portuguesas.

Contactos

Rua Duque de Palmela, 11
4000-373 PORTO

(+351) 225 365 750

edisal@edicoes.salesianos.pt