Parte 1

Na esmagadora maioria das nossas paróquias faltam catequistas.
Os bons párocos e coordenadores de catequistas não perdem tempo a lamentar-se.
Vão à luta, empenham-se em convidar e em formar novos catequistas.
Mas, às vezes, cometemos erros imperdoáveis. E os novos catequistas, tão árduamente recrutados desaparecem de vista.

Esta série de artigos pretende ser um alerta para evitar erros muito comuns na gestão dos catequistas.

Perder a pessoa no anonimato

Fazemos um grande esforço para encontrar novos catequistas ou candidatos a catequistas. Fazemos convites pessoais. Pedimos aos outros catequistas que lancem a rede a outros. Fazemos apelos no final da missa.

Como resultado de todos estes esforços, a Maria, de 37 anos, resolveu aceitar o desafio.
Ela gosta de crianças, tem os filhos na catequese, sente que pode ser mais activa como cristã, apoiando a catequese.
Com muita fé, algum receio e bastante entusiasmo, assinou o nome dela na folha que estava na secretaria da catequese. Deixou todos os contactos: telefone de casa, telemóvel, email...

E passa-se uma semana, outra semana... e ninguém contacta com ela.
Depois de três semana ela recebe um email vindo do coordenador da catequese. Mas, ao lê-lo, a Maria percebe que auilo é um texto enviado a todos os que deram o nome. Um texto igual para todos.

A Maria decide apagar o email.
Este tratamento impessoal, massificado, deixa-a mal disposta.
Empenhar-se pela evangelização deveria ser outra coisa. Se é para isso, para receber uma comunicação fria como uma carta das finanças, então a Maria não está interessada.

Para mudar

Não deixes passar mais de 48 horas depois de alguém responder a um apelo ou se oferecer para algum serviço.

Promove o contacto e de forma pessoal. Só é aceitável usar o email, para dizer que dentro de pouco tempo vais telefonar ou ter um encontro face a face com a pessoa que se ofereceu como catequista.

Promove um encontro onde se possa falar sobre quais são as necessidades da paróquia, quais os interesses e motivações da pessoa.

Procura responder correctamente a todas as questões que eles possam ter sobre o serviço que vão assumir.

As pessoas apreciam a atenção pessoal do responsável da catequese.

Siga-nos

Visite as livrarias

Quem Somos

Somos uma editora católica, fiel ao carisma de S.João Bosco. Especializados em catequese e pastoral juvenil, estamos em Portugal há quase 70 anos. "Educação e Evangelização" é o nosso lema. Temos lojas próprias nas cidades do Porto, Lisboa e Évora e estamos presentes nas principais livrarias católicas portuguesas.

Contactos

Rua Duque de Palmela, 11
4000-373 PORTO

(+351) 225 365 750

edisal@edicoes.salesianos.pt